De amar e sonhar

domingo, 31 de janeiro de 2016

De amar e sonhar

Se já me furtaram a cor do amarelo âmbar do meu descontentamento,
Descortinando as contas do rosário em orações contadas…
Eis que chegasse aos meus lábios o amor outrora adormecido 
nos braços de mulher que se veste tão bem de poesia…
A remir, contra as incertezas de um coração partido.
Revolvendo as muralhas dos pensamentos vis.
Feito rio que luta contra a correnteza, 
se entregando no bailado das ondas entre as pedras…
E as ondas a murmurar…
Tão largadas…
Tão surradas…
Tão mesquinhas…
Tão sozinhas…
A fazer esculturas na areia como a se entregar nos braços do amado…
Valdenir Cunha da Silva 

2 comentários:

  1. É A MAIS PURA, ONDAS DE TERNURA NOS LÁBIOS DE UMA MULHER.QUE SE DESMANCHA NA AREIA A ONDA QUE RONDA ESTE SEU CORAÇÃO, E EM SEUS LÁBIOS O SABOR DO MEL,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a poesia pedindo passagem... Deixe-a fluir! Obrigada.

      Excluir